Lordes-espadachins

swordlord.jpg

No auge da fundação de Rostland, o país estava a mercê de seus inimigos da Issia e dos Reinos Ribeiros. O governante na época era o Barão Sirian Aldori, um nobre de Taldan que havia sido mandado para supervisionar a construção da então capital, Restov.

Sirian se orgulhava muito de seu talento com a espada, e quando foi desafiado para um duelo pelo controle do país, seu orgulho foi mais forte. No entanto, Sirian foi derrotado e, humilhado, se auto-exilou, deixando o país ser governado por um membro do Povo do Rio por alguns anos.

Enfim, Sirian voltou em busca de vingança. Com um novo estilo de esgrima que desenvolveu em seu exílio, Lorde Aldori derrotou seu oponente em menos de um minuto e retomou o controle de Rostland. Nos anos que se seguiram, Sirian, ou o ‘Lorde-espadachim’, como ficou conhecido, aceitou vários outros duelos pelo controle do país e nunca foi derrotado.

Lorde Aldori aceitou vários nobres e alguns guerreiros de destaque como discípulos, fundando a Escola Aldori de Esgrima, membros da qual eventualmente tomariam cargos de prestígio no governo Rostlandês. Ao longo dos anos, os lordes-espadachins tornaram-se a classe dominante em Rostland, e o país passou a ser governado pelo Conselho dos Lordes-espadachins, governo esse que durou muitos séculos.

Porém, em 4499, seguindo a derrota esmagadora do exército dos lordes-espadachins pelas tropas de Choral, o Conquistador na Batalha do Vale das Chamas, Rostland foi anexada à Issia para tornar-se a nação de Brevoy, e o poder do Conselho foi diminuído a favor das casas nobres fiéis à Casa Rogarvia. Alguns lordes-espadachins migraram para Mivon fugindo de Choral, onde puseram-se em serviço como mercenários. O Conselho considera isso uma prostituição da Escola Aldori de Esgrima, e como tal considera a cidade-estado de Mivon como potencial inimiga.

Hoje em dia, o Conselho dos Lordes-espadachins é pouco mais que um grupo de nobres menores do sul de Brevoy, mas coletivamente possuem grande influência econômica e um exército que só é menor que o mantido pela família real. A maior parte dos lordes-espadachins são contra o governo de Noleski Surtova, e no caso de uma guerra civil, o Conselho provavelmente será uma força crítica.

Recentemente, os Lordes-espadachins conferiram à quatro grupos de aventureiros e mercenários o direito de explorar a região ao sul conhecida como Terras Roubadas, com o propósito de eliminar riscos a Rostland, estabelecer rotas de comércio e possivelmente fundar novos reinos.

No dia 2 de Sarenith de 4710, o lorde-espadachim Victor Vasseri fez um anúncio em nome do Conselho dos Lordes-espadachins no Posto do Oleg, conferindo à Brigada Vermelha o direito e os fundos para estabelecer uma colônia, declarando uma aliança entre o Conselho e o novo reino. Em 4 de Sarenith, os colonos enviados por Rostland chegaram a região ao redor do Monastério de Gyronna, onde começaram a construção de Stagsfall.

São membros de destaque do Conselho:

  • Richard Iannuchi - O sério e sensato líder do Conselho, tenta atrasar ao máximo uma guerra que ele teme ser inevitável.
  • Marian Derro - Oficialmente o tesoureiro do Conselho, possui várias conexões comerciais importantes que podem ser exploradas no caso de uma guerra civil.
  • Ariana Santora - Guerreira e estrategista reconhecida, ela comanda a maior tropa entre os lordes-espadachins.
  • Stefan Mandor - Um atleta, cavaleiro, arqueiro e lanceiro reconhecido, não tem grandes aspirações políticas.
  • Gerrol ‘Krepost’ Manahell - Um homem gigantesco, é senhor de um grande número de ferreiros, carpinteiros e armeiros.
  • Dominik Garland - Atual campeão do Conselho, suas habilidades com a espada são singulares.
  • Ivan ‘Velho Cavalo de Guerra’ Vasseri - Mais velho entre os lordes-espadachins, raramente participa de reuniões do Conselho.
  • Victor Vasseri - Filho de Lorde Ivan, ao contrário do pai tem talento para a diplomacia e normalmente atua como representante do Conselho.

Lordes-espadachins

Reifazedor DM_Ele